Sábado, 24 de Novembro de 2007

SONATA AO LUAR

Speed by: The Wolf

 


Sento-me ao piano, e voo, para além das notas, da música e do tempo, até ti...
...e vejo-te com teu corpo despido de roupa e preconceitos, nu, à luz do luar...
vejo um anjo de desejo, de cabelos balouçando, à leve brisa nocturna...
contornos de carne e saudade chamando por mim...
nosso corpos chamam-se, dispensam palavras...
o teu, sei-o de cor...


os contornos, os cheiros, os sabores, as fraquezas...
minhas mãos, no teu corpo, de pianista aprendiz, de dedos compridos, agéis e sensíveis, nele tocam, uma peça que mais ninguém ouve, além de nós, juntos num só...

nossos corações batem a ritmo, ouvindo-se um só...
mais alto que somados, em separado...
e toco, no teu cabelo, na tua pele, no teu rosto...
um "adagio catabile", lento e melodioso em "pianissimo" ...
nos teus lábios, ombros, ventre e seios, ... perco-me num "Rondo" de volta e ida, sem fim, de "pianissimo" a "piano", numa peça a duas mãos e uns lábios, de beijos quentes e sopros frios...


até te contorceres de dor e desejo, por mais, muito mais...
mostro-te desejos, que não sabes ter, não sonhas sequer existir...
o teu corpo foge-te, em "vibrato" sem que o consigas controlar, num lume invisível, que arde, devorando tudo, até ao desejo da carne...
da tua porta da vida, jorra um rio, quente e húmido, sem fim, implorando para ser possuído, ali, naquele momento...nem o fim do mundo nos para agora, já não existe tal força, em lugar algum...
e eu possuo-te, tu possuis-me...


entro sem medo rasgando-te os sentidos até o mais fundo prazer...
da carne, do ser, da vida existente em momentos, e o agora...
rebolamos, numa roda de "codas" infindável, de controle e submissão...
e entre contratempos, soltam-se uivos de prazer, a duas vozes em perfeita harmonia... libertam-se suores que se unem em peles coladas e escorrem sem medo, brilhando ao luar...

gemidos sofridos, sentidos e libertados de corpos comprometidos e torcidos, largados ao desejo profundo, de liberdade e paixão, força da emoção no sentimento da razão...
sinto-te, sentes-me, num "allegretto giocoso", "mio-forte", terminando num "allegro assai", "forte"...
explodimos, aos som de todas as orquestras juntas tocando em uníssono, um final sem igual...


e soltam-se gritos rasgados de prazer demencial "fortissimo", ouvidos para além do mundo racional, até ao universo mundano e carnal, que por instantes infinitos, apagam o tempo e a lua...

volta a lua, revelando nossos rostos e pedaços de carne, cansados, sofridos, saciados...


choramos e rimos, como crianças que acabam de descobrir a vida...
e olho-te, teu corpo cintila ainda ao luar, mais belo que nunca...
e sussurro-te ao ouvido: -Sabias que uma sonata tem 3 andamentos?

 

Next Speed by: Ki


Speed by Lazy Cat às 00:01
| Speeds
19 comentários:
De Rafeiro Perfumado a 24 de Novembro de 2007 às 00:29
3 dependendo da forma física, há muito boa gente que nem do 1º andamento passa...


De The Wolf a 24 de Novembro de 2007 às 00:38
Antes um grande 1º e único andamento, que 3 daqueles...


De ______ a 24 de Novembro de 2007 às 01:05
Rafeiro que te valha são viagra...pros andamentos e correrias sems er à volta da tua cauda.


Pfffff!!!!!!!!


De Cati a 24 de Novembro de 2007 às 00:32
Meu Deus... quem me dera ser piano em mãos assim... quem me dera ter mãos assim e tocar assim nas letras, como se notas fossem de uma maravilhosa melodia...

Wolf - divino... o melhor que li por ti, do melhor que li nos últimos tempos...

Oh inveja!!! (mas daquela boa, não destrutiva...)

Gata... kiss...


De The Wolf a 24 de Novembro de 2007 às 00:45
Podes sempre ser a pianista...

Pronto, agora fiquei de peito inchado...
Ninguém me cala mais...
Bincadeira, Obrigado!

Daquela boa? há outra? lool

Bem agora... estou chocado... para mim nada?

Gata... outro kiss...

E já agora:
Cati, beijos!


De Cati a 29 de Novembro de 2007 às 13:03
BEIJOSSSSS


Tens razão... a falta de beijos é imperdoável!!!

Só por isso e por me tocares o coração, toma lá mais um...



De KI a 24 de Novembro de 2007 às 01:11
Sui generis e apelativo. uma sinfonia feita de cordas invisiveis, de teclas apeteciveis, de violinos audiveis... Gestos em palavras, segredos contados, sentires paralisados será essa a dor? anseios elevados, corpos enlevados e crescendo... compassos de espera, notas soltas, e voilá... a música toca sem pauta csomposta na harmonia dos elementos.

Cumps. Wolf ! E congratulations!


De The Wolf a 24 de Novembro de 2007 às 01:27
toca de cor, no silêncio...
da dor...
de amar...
de acabar...
de sentir...

Obrigado!


De KI a 24 de Novembro de 2007 às 01:17
A barra lateral do Speed está excelente, brilhante, quente, audaz, com speed .

Diálogo fantástico, bem escrito, inesquecível, criativo, maduro, eu podia desfilar aqui os adjectivos todos que me lembro.

Mas 'ele e ela' estão além palavras, é mesmo excelente, sedutor, sensual...

Caraças como eu gostava de saber escrever assim.

Sublime!!


De Little Lynce a 24 de Novembro de 2007 às 01:47
Estou deliciada…desculpem-me todos os outros mas, sem dúvida alguma, este foi o melhor speed que li até hoje…e a musica…escolha magnifica…melhor impossível.
Sr. Wolf você é espectacular…


De The Wolf a 24 de Novembro de 2007 às 02:05
...agora acho que vou mesmo rebentar...
...a música...
...a música faz o imaginário real...
...o único sentido que não se vê...
...só se sente...
...e imagina-se...
...e nisso este senhor, o que a compôs é mestre...

Obrigado!


De Little Lynce a 24 de Novembro de 2007 às 02:45
Sr. Wolf
Nem eu própria que senti na música um complemento perfeito e inseparável do texto seria capaz de imaginar que você tão extraordinariamente, mais uma vez, me deixasse sem fôlego…

Obrigado eu…


De tugafixe a 24 de Novembro de 2007 às 09:58
Wolf, devo dizer que fizeste disparar o coração! Este é daqueles textos que todos gostariam de escrever... porque sentir o descrito, já senti!

Abraço!


De The Wolf a 24 de Novembro de 2007 às 19:08
Sentir, pensar e escrever...
Sobre momentos, sentimentos...
Porque não tentas, pode ser que te surpreendas!

Obrigado, e outro abraço!


De tugafixe a 24 de Novembro de 2007 às 23:27
Não é bem a mesma coisa, mas se desceres mais abaixo "A primeira vez" foi escrito por mim.

Abraço!


De mnike30 a 24 de Novembro de 2007 às 16:36
O som desta heterofonia a dois entrou-me pelo ouvido externo adentro, através da minha retina, tocou o meu nervo auditivo e permanece alojado no hipotalamo, como música erudita que alimenta a minha fome de sonhar.
Esta vontade pulsada através de batimentos regulares conjugada com breves silêncios ritmados faz com que o Coyotte tenha criado com palavras um STOMP de emoções.
Apolo iria gosta de tocar esta letra na sua Lira...

Ó Lobo, porque é que tens uns ouvidos tão grandes?!!
Poxa!
Quero mais disto!!


De The a 24 de Novembro de 2007 às 19:14
A música alimenta a fome de sonhar, muito bom!
Mas porque não, deixa-la saciar a fome de sonhar, por momentos, sem tempo?
Apolo? Pode ser para a Afrodite?

Quanto aos ouvidos, até tenho uns abanos jeitosos...
São para ver melhor, aquilo que os olhos não sabem...


De redjan a 24 de Novembro de 2007 às 23:40
wolfissimo ... around perfection !!


De Lazy Cat a 27 de Dezembro de 2007 às 17:37
...entro sem medo, rasgando-te os sentidos até ao mais fundo prazer....e o teu texto entra assim, de mansinho....de leve, como notas dispersas na noite, e fica até ao amanhecer....

Grande Speed Meu Lobo.
Grande como só alguns sabem, encontrar e perder-se em instantes de prazer....


Speeds

.Racers

.Speeds

. é!

. Upsss(II)

. (RE)ENCONTRO

. Toque de Midas

. Uma noite. Um olhar.

. Revenge

. SONATA AO LUAR

. Assunto encerrado !

. Tortura

. Sal na boca...

.Slow Motion

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.Long Roads

.Janeiro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.Breaks

 

.Fingers & Fire

 

 

 

… do frio

Frio?

frio tem remédio.....

any idea?

lots

such as....

such as....

pois... não estou a ver....

undressing slowly ...by the fireplace

no lights, only candles

mmmmm

sounds tempting

does it?

mmmmmmm

so far

music?

you're choice....

does it matter ?

it does, if I'm supposed to undress for you

nesse caso.....

a do video .. de hoje

(ando a fugir dessa música há semanas)

mas ok

já começou ?

 

Vai começar agora…

senta, sentas?

assim no braço do sofá....

enquanto chego à lareira

e solto o cabelo, para começar....

e sorrio e fico à espera

a musica é tua,

podes mandar

   mmmmmmmm

 

mandar ou...

levantar ?

 

decide tu....

 

e passo-te os dedos ...

por onde sei inventar.....

e sinto-te a pele ... a querer respirar

e vindo do nada... caminham para o tudo

onde as coisas acabam

onde as coisas começam....

 

onde se abraçam olhares

e se quebram promessas

 

e num frio de repente sinto escorregar

e entram momentos

que não vimos chegar....

e nos dedos perdidos.....

na vontade de voltar

 

dançam corpos em sombras incandescentes

em gestos lentos, em voz de arfar,

em cores esculpidas,

entre mãos perdidas,

em mares de quereres

e vontades contidas

 

e de repente .... tocou o telefone

e saímos a correr!

a casa não era nossa

don't!

e os da agência estavam sempre à espreita

lol

srry

é este meu lado do nonsense

que me assalta sem aviso

onde iamos?

o que estávamos a fazer?

 

 

onde?

queres saber?

íamos onde te puxo devagar

e desço pelo teu peito em beijos de molhar

em dentadas de beber e saborear

em mãos que te enlaçam, lábios que te procuram

e não se deixam provar

mmmmmmmm

em corpos que se encostam,

se procuram e se enroscam,

como gatos a sonhar

em sentir que despertas,

que a roupa te aperta....

que não queres esperar

em afastar-me sorrindo,

mandar-te um beijo e indo

para casa descansar!

 

boa?

...Hummmmmm....
Nova página 1

Humm… Quando de lábios te exploro e te mordo devagar, digo que te adoro, que te quero, que não posso esperar, quando a música nos toma, se faz nossa dona e nos obriga a dançar, quando somos só um, e a terra a girar, quando escrevo o que sinto e te deixas amar...

Nova página 1

 

Quanto me entendo contigo e te sinto como abrigo, e me revejo nos teus beijos e juntos criamos desejos...Quando  dançamos os dois sem amanhã nem depois, encontro-me no teu olhar, sentimos o ritmo que nos faz dançar... Quando as palavras se calam e só os sentidos falam...