Quinta-feira, 1 de Novembro de 2007

O Comboio

Speed by: Passo


A manhã não lhe estava a correr nada bem. Estava  atrasado e viu-se obrigado a correr para apanhar o comboio. Ao menos o seu local habitual estava livre. Sentou-se e ouviu uma voz femenina a seu lado. – Hoje atrasou-se, teve de correr. Mesmo á sua frente uma mulher, cerca de 30 anos cabelos pretos, olhos castanhos profundos, disfarçados por uns óculos de aros finos que lhe davam um ar intelectual.  Pele muito branca, um sorriso luminoso, elegante, pelo menos parecia-lhe pois ela encontrava-se sentada.


- Sim realmente hoje a manhã não me está a correr nada bem. – O dia está lindo, vai ver que corre melhor. – Obrigado. Ela brindou-o com um sorriso e voltou a ler o livro que tinha nas mãos. Ficou a observá-la, como saberia que estava atrasado nunca tinha reparado nela, mas pelos vistos ela já. Sorriu para si mesmo e como se o tivesse pressentido ela levantou os olhos do livro e sorriu-lhe de volta. Teria visto um leve piscar de olhos, sentiu a sua face aquecer e ela sorriu novamente. Ela voltou ao seu livro e ele como de costume leu o jornal.


Sentiu um pequeno toque na sua perna, levantou os olhos e ouviu um desculpe. Não faz mal respondeu enquanto lhe sorria. Ela era linda e escondia a sua beleza por detrás dos seus óculos e na sua forma discreta de vestir. Fora apenas um pequeno toque com a biqueira da sua bota mas a sensação ainda perdurava, olhou discretamente para baixo e reparou que ela não tinha retirado o pé continuava com a bota encostada à sua perna. Subiu o olhar e viu aqueles olhos castanhos a entrar pelos seus e sentiu um arrepio ao longo da coluna, ela sorria-lhe. Ficou sem saber o que fazer e apenas sorriu de volta.


A leitura do jornal já não o estava a conseguir deixar abstrair, aquele pé consoante, ou não, os solavancos do comboio ia  como que acariciando a sua perna. Sentia que ela o ia observando, vendo as suas reacções.  Ele pensou que não tinha nada a perder,  e esticou um pouco a sua perna de forma a encostar á perna dela. Olhou-a, tinha um meio sorriso a bailar-lhe nos lábios ao mesmo tempo que com a sua perna empurrava a dele de encontro à parede do comboio. Deixou-se ficar sentindo a caricia da perna dela de encontro á sua.


Chegaram à sua paragem e ele sabia que tinha de se levantar, mas não o conseguia estava vidrado nos olhos dela. Hoje não sai perguntou-lhe ela com um sorriso travesso ao mesmo tempo que se levantava. Sim claro respondeu, levantou-se e saiu do comboio. Ela seguia a uns passos á sua frente, era bem elegante sim. Vestia uma saia um pouco abaixo do joelho, botas altas e uma blusa que lhe moldava as formas. Entraram no metro e como de costume àquela hora ia bem cheio. Ficaram frente a frente, de corpos colados, sentia os seus firmes seios de encontro ao seu peito.


Ela olhava-o nos olhos, os seus lábios a poucos centímetros dos seus sorriam-lhe como que a desafia-lo. Sentiu a sua perna a subir entre as suas e um joelho tocou-lhe na zona da pélvica, estremeceu, o sorriso alargou-se. Perdido naqueles olhos o seu rosto desceu um pouco e num solavanco do metro os seus lábios tocaram-se, o joelho subiu um pouco mais e os corpos colaram-se sentia os seus mamilos a arranharam-lhe o peito.


O metro parou, ela soltou-se e saiu de repente, tentou sair mas já não conseguiu fazê-lo, só teve tempo de ouvir um até amanhã e veja se não se atrasa. Viu um sorriso maroto a desaparecer no meio da multidão e desejou ser já “amanhã”...


 

Next Speed: Who knows?

Speed by KI às 23:20
| Speeds
2 comentários:
De FELINO a 2 de Novembro de 2007 às 07:41
Simplesmente magnifico, Parabéns.


De mnike30 a 3 de Novembro de 2007 às 12:45
É por estas e por outras que vão ser criadas carruagens exclusivas para mulheres, dizem "eles" que para evitar asédio...
Bem, depois de ler este texto imagino que essas carruagens vão andar sempre muito mais vazias que cheias...
Está mesmo muito bom!
1 Beijinho


Speeds

.Racers

.Speeds

. é!

. Upsss(II)

. (RE)ENCONTRO

. Toque de Midas

. Uma noite. Um olhar.

. Revenge

. SONATA AO LUAR

. Assunto encerrado !

. Tortura

. Sal na boca...

.Slow Motion

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.Long Roads

.Janeiro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.Breaks

 

.Fingers & Fire

 

 

 

… do frio

Frio?

frio tem remédio.....

any idea?

lots

such as....

such as....

pois... não estou a ver....

undressing slowly ...by the fireplace

no lights, only candles

mmmmm

sounds tempting

does it?

mmmmmmm

so far

music?

you're choice....

does it matter ?

it does, if I'm supposed to undress for you

nesse caso.....

a do video .. de hoje

(ando a fugir dessa música há semanas)

mas ok

já começou ?

 

Vai começar agora…

senta, sentas?

assim no braço do sofá....

enquanto chego à lareira

e solto o cabelo, para começar....

e sorrio e fico à espera

a musica é tua,

podes mandar

   mmmmmmmm

 

mandar ou...

levantar ?

 

decide tu....

 

e passo-te os dedos ...

por onde sei inventar.....

e sinto-te a pele ... a querer respirar

e vindo do nada... caminham para o tudo

onde as coisas acabam

onde as coisas começam....

 

onde se abraçam olhares

e se quebram promessas

 

e num frio de repente sinto escorregar

e entram momentos

que não vimos chegar....

e nos dedos perdidos.....

na vontade de voltar

 

dançam corpos em sombras incandescentes

em gestos lentos, em voz de arfar,

em cores esculpidas,

entre mãos perdidas,

em mares de quereres

e vontades contidas

 

e de repente .... tocou o telefone

e saímos a correr!

a casa não era nossa

don't!

e os da agência estavam sempre à espreita

lol

srry

é este meu lado do nonsense

que me assalta sem aviso

onde iamos?

o que estávamos a fazer?

 

 

onde?

queres saber?

íamos onde te puxo devagar

e desço pelo teu peito em beijos de molhar

em dentadas de beber e saborear

em mãos que te enlaçam, lábios que te procuram

e não se deixam provar

mmmmmmmm

em corpos que se encostam,

se procuram e se enroscam,

como gatos a sonhar

em sentir que despertas,

que a roupa te aperta....

que não queres esperar

em afastar-me sorrindo,

mandar-te um beijo e indo

para casa descansar!

 

boa?

...Hummmmmm....
Nova página 1

Humm… Quando de lábios te exploro e te mordo devagar, digo que te adoro, que te quero, que não posso esperar, quando a música nos toma, se faz nossa dona e nos obriga a dançar, quando somos só um, e a terra a girar, quando escrevo o que sinto e te deixas amar...

Nova página 1

 

Quanto me entendo contigo e te sinto como abrigo, e me revejo nos teus beijos e juntos criamos desejos...Quando  dançamos os dois sem amanhã nem depois, encontro-me no teu olhar, sentimos o ritmo que nos faz dançar... Quando as palavras se calam e só os sentidos falam...