Segunda-feira, 1 de Outubro de 2007

À tua espera...

Exactamente como desejas que o faça.
Nua. Sentada.
As pernas abertas. Ligeiramente dobradas.
O meu corpo treme; de frio e antecipação.
Mantenho a posição.
Braços sobre as coxas, peito levantado,
cabeça para trás e olhos fechados.
Espero-te na penumbra, no frio chão de pedra.


Ouço ao longe o mar. Mais perto o vento
que enrola as cortinas pretas e as empurra casa adentro...

Ouço vozes e carros que passam. Carros que param.
Vozes que momentaneamente se calam.
Estremeço.....


Sei bem que aqui, na escuridão quebrada pela luz trémula da vela
apenas o meu corpo nú é visível. Para quem chega. E para quem passa...


Sinto-me como uma obra de arte que a luz evidencia.
Ao mesmo tempo bela e fria.
Exposta. Desprotegida do mundo.
Ao meu lado, uma venda, pousada.
Seda negra no negro chão de pedra.
Dos teus instrumentos de consentida tortura ninguém vê nada.

Não gosto de estar assim.
Ouço vozes em surdina, palavras soltas, comentários.

Exibida qual estatua
imóvel e iluminada
entregue aos comentários de um mundo que não percebe nada.

O meu corpo sofre nesta posição forçada.
Respiro fundo. Não mudo nada.
Continuo a ouvir passos que abrandam e páram.
Vozes abafadas e novamente passos, que se afastam,
saem do jardim e voltam para a calçada.

E...finalmente ouço passos que reconheço.
Pisam o trilho de gravilha no meio da relva aparada.
Hesitam um instante e empurram a porta de vidro.
Como tinhas mandado, apenas encostada.

Esqueço a dor a vergonha e a nudez exposta e habilmente iluminada
deixo de ser estátua, sendo apenas desejada...

 

Next Speed : Apache


Speed by Lazy Cat às 00:01
| Speeds
4 comentários:
De Frágil a 1 de Outubro de 2007 às 08:43
Bem......vim sem ser convidado e assim que entrei!!!!!!
tapei imediatamente os olhos com uma mao ( mas abri os dedos e espreitei ).
Porra é so uma estatua, mas.....uma estatua que respira!!! estarà à espera de alguem? de mim nao é de certeza, ahhh pois nao, alguem abriu aquela porta de vidro e entrou!!!! pois, jà estou a mais, vou-me embora, na gosto de servir de vela pa ninguem.
----------------------------------> FUI--------->


De KI a 1 de Outubro de 2007 às 21:11
Texto muito intenso. A 'arte' do dominador e do dominado por consentimento. Há quem defenda que seja uma relação estranha, mas com uma magia que transparece na entrega de cada um. Os rituais que descreves, a obediencia e o prazer dái obtido não encaixam nos ditames duma sociedade esquematizada e com tabus enraizados embora todos nós apregoemos que não julgamos ninguém.

Gostei muito do texto, diferente e muito do que habitualmente se le, mesmo fora do virtual, e acho-lhe um encanto que creio que tem a ver com a aura de mistério que o envolve. Claro que a interpretação podia ainda ser mais simples...uma simples estátua...animada...por alma...

Arranhadelas!!


De Lazy Cat a 1 de Outubro de 2007 às 21:44
Bem...uma estátua com alma é algo muito mais simples, de facto!
Muito mais simples que regras e rituais sabiamente ensaiados e repetidos ou jogos desejados e consentidos! Sem dúvida! ;)

Diferente. Porque as gatas são diferentes?!

Arranhadelas, Ki, arranhadelas indeed!!!


De Apache a 2 de Outubro de 2007 às 00:47
Um texto diferente, sem dúvida... talvez demasiado diferente do meu "estilo" de escrita.

Quanto ao convite da Gata para escrever o "post" seguinte, agradeço, mas estou sem tempo nos próximos dois ou três dias e não faz sentido ficarem à minha espera. Por isso, se quiserem mesmo publicar algo meu, sugiro, dado o contexto, o texto intitulado "Pedro e Inês", publicado a 8 de Setembro de 2006, no meu blogue. Talvez um dia destes tenha tempo e inspiração para outro texto, quem sabe.

Beijinhos e obrigado à Ki pela visita


Speeds

.Racers

.Speeds

. é!

. Upsss(II)

. (RE)ENCONTRO

. Toque de Midas

. Uma noite. Um olhar.

. Revenge

. SONATA AO LUAR

. Assunto encerrado !

. Tortura

. Sal na boca...

.Slow Motion

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.Long Roads

.Janeiro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.Breaks

 

.Fingers & Fire

 

 

 

… do frio

Frio?

frio tem remédio.....

any idea?

lots

such as....

such as....

pois... não estou a ver....

undressing slowly ...by the fireplace

no lights, only candles

mmmmm

sounds tempting

does it?

mmmmmmm

so far

music?

you're choice....

does it matter ?

it does, if I'm supposed to undress for you

nesse caso.....

a do video .. de hoje

(ando a fugir dessa música há semanas)

mas ok

já começou ?

 

Vai começar agora…

senta, sentas?

assim no braço do sofá....

enquanto chego à lareira

e solto o cabelo, para começar....

e sorrio e fico à espera

a musica é tua,

podes mandar

   mmmmmmmm

 

mandar ou...

levantar ?

 

decide tu....

 

e passo-te os dedos ...

por onde sei inventar.....

e sinto-te a pele ... a querer respirar

e vindo do nada... caminham para o tudo

onde as coisas acabam

onde as coisas começam....

 

onde se abraçam olhares

e se quebram promessas

 

e num frio de repente sinto escorregar

e entram momentos

que não vimos chegar....

e nos dedos perdidos.....

na vontade de voltar

 

dançam corpos em sombras incandescentes

em gestos lentos, em voz de arfar,

em cores esculpidas,

entre mãos perdidas,

em mares de quereres

e vontades contidas

 

e de repente .... tocou o telefone

e saímos a correr!

a casa não era nossa

don't!

e os da agência estavam sempre à espreita

lol

srry

é este meu lado do nonsense

que me assalta sem aviso

onde iamos?

o que estávamos a fazer?

 

 

onde?

queres saber?

íamos onde te puxo devagar

e desço pelo teu peito em beijos de molhar

em dentadas de beber e saborear

em mãos que te enlaçam, lábios que te procuram

e não se deixam provar

mmmmmmmm

em corpos que se encostam,

se procuram e se enroscam,

como gatos a sonhar

em sentir que despertas,

que a roupa te aperta....

que não queres esperar

em afastar-me sorrindo,

mandar-te um beijo e indo

para casa descansar!

 

boa?

...Hummmmmm....
Nova página 1

Humm… Quando de lábios te exploro e te mordo devagar, digo que te adoro, que te quero, que não posso esperar, quando a música nos toma, se faz nossa dona e nos obriga a dançar, quando somos só um, e a terra a girar, quando escrevo o que sinto e te deixas amar...

Nova página 1

 

Quanto me entendo contigo e te sinto como abrigo, e me revejo nos teus beijos e juntos criamos desejos...Quando  dançamos os dois sem amanhã nem depois, encontro-me no teu olhar, sentimos o ritmo que nos faz dançar... Quando as palavras se calam e só os sentidos falam...