Quinta-feira, 4 de Outubro de 2007

As mãos

Speed by: Teresa da Praia


O quarto encontrava-se quente, agradável A luz provinha de algumas velas estrategicamente colocadas… com pouca luz... Silencioso... Só se sentia um ligeiro aroma a incenso...delicioso!

António tinha preparado tudo como sempre sonhara, e nem acreditava que tinha conseguido levar Margarida até ali! 

Ela tinha vestido um curto e fino robe...que dava para imaginar o corpo bonito que cobria. Margarida virou-se de costas, despiu o mesmo, e deitou-se de ventre para baixo numa cama imensa vestida com um lençol de cetim cor de marfim, lindo, tão suave e contrastava com a sua pele morena e cabelos castanhos que lembravam o Outono nos seus vários tons!

Ela unicamente colocou uma toalha nas nádegas… António sentiu-a nervosa mas prometera a si mesmo não fazer mais que uma boa massagem conforme tinha prometido, embora sentisse o quanto ia ser difícil!

Ele aproximou-se, e abriu um frasco de óleo, aromático de pêssego...ele sabia que ela adorava aquele aroma! Colocou um pouco nas mãos, e esfregou-as até ficarem quentes... Ela acomodou-se naquela suavidade do lençol… à espera...

Quando ele colocou as mãos nas suas costas, ela estremeceu... Ele Iniciou um movimento que acompanhava a coluna, com uma pressão suave sobre a sua pele...

Colocou um pouco mais de óleo directamente nas costas dela... que a fez arrepiar, o óleo estava frio, mas ele espalhou-o rapidamente. As suas mãos sentiram com prazer a textura daquela pele tão fina e delicada...

António começou a perceber os pontos sensíveis daquela mulher que com o movimento começavam a transmitir uma sensação de relaxamento embora de inquietude....

As mãos dela sobem languidamente até à nuca, segurando o cabelo deixando a descoberto o pescoço esguio e um pouco dos seus seios ficaram à vista... As mãos dele quase lhes tocaram...

Ele desceu mais um pouco, ate à zona da toalha, e perguntou-lhe se a podia afastar um pouco... Ela sussurrou que sim, num tom quase imperceptível

 

Ele afastou-se um pouco para trás e começou a massajar a zona do interior das pernas, umas pernas muito bem delineadas! Ela sentiu todos os seus pontos nervosos prontos para receber o toque das mãos dele...

António Inicia suavemente movimentos circulares com os dedos, até que as suas mãos descem e exploram todos os pontos cruciais naquela bonita e sensível parte do corpo... 

Ela sentiu-se tão bem... A sua cabeça recebia sensações de prazer em quase todos os segundos e ele subiu mais um pouco, e colocou a ponta dos dedos no centro das suas costas.

Alguma pressão nas mesmas, e ela solta um gemido suave, de prazer... Ele com uma atenção extrema, para que a massagem saísse perfeita.

Vai até aos ombros e massaja-os unicamente com os dedos! Ela virou-se por instantes para sentir e ver melhor o que ele estava a fazer... cruzaram os olhares sem proferirem uma palavra!

Ele abre novamente o frasco e pede-lhe que se vire de frente.... Ela olha-o nos olhos, e vê que pela expressão dele, que também estava a gostar do que estava a fazer...

Ele pergunta-lhe se quer tirar a toalha, e ela vira-se sem nada dizer. Nesse instante ele admirou os seus belos seios, cheios e bem desenhados. Espalhou mais um pouco de óleo perto do umbigo dela... e naquele momento, ambos tinham a certeza que não iria ser só uma simples massagem como inicialmente tinham combinado… algo mais se delineava, naquele quarto, naquele ambiente, naquele momento, todos os sentidos  despertos em pleno. 

Acariciou-lhe uma vez mais o umbigo e os olhos dela semicerrados a sentir cada toque... Uma das mãos dele sobe suavemente, passando pelo meio dos seios dela...que a fez soltar um gemido… a outra continuava a massajar o umbigo, sem pressa.

Passou as duas mãos pela face dela e sentiu que ela estava a apreciar cada gesto seu, cada momento... Um dos seus dedos passou perto da sua boca, que se abriu, e deixou que explorasse os seus lábios...

Margarida colocou as suas mãos sobre as dele, e encaminhou-as para os seus seios... Abriu os olhos, e pôde ver os olhos dele, que deixavam adivinhar que queriam muito mais dela, muito mais!

Ele esqueceu que era duma massagem que se tratava e suavemente beijou-a nos lábios...

O beijo foi demorado, embora suave.... As suas línguas tocaram-se... Exploraram-se docemente....

Beijou-a no pescoço... As suas mãos deslizaram no seu cabelo e desceram lentamente, beijou um dos seus mamilos... A língua saboreou-o avidamente e notou que se tornava mais rijo cada vez que o tocava e ela premia um pouco as pernas, mas deixou-se ir… o prazer estava a sobrepor-se a qualquer outra coisa e fechou novamente os olhos.

António sentiu o sexo dela húmido, ansioso por receber prazer... ele queria sentir aquela pele fina e suave que aí se encontrava... Margarida soltou alguns gemidos de prazer... Ele ficou com o sexo erecto, excitado com o corpo dela e as sensações de prazer que ela transmitia. Ele adorava dar prazer, embora sentir fosse importante, mas para ele o prazer só fazia sentido dessa forma, vê-la entorpecida e desejosa de mais e mais…

Acabou por se despir completamente... Deitou-se ao lado dela... Mais um beijo, desta vez mais fogoso, com mais calor... A mão dela começou uma agradável massagem no seu sexo. Ele estava a adorar cada segundo.

Baixou-se mais um pouco, e beijou as pernas dela, bem perto do seu sexo... Sentiu-a vibrar de antecipação. Até que colocou a sua língua nos seus lábios agora vaginais... O doce perfume que aí sentiu, deixou-o mais excitado ainda...

 

Explorou cada recanto do seu sexo com leveza. Os seus lábios e língua saboreavam cada pedaço dessa parte do corpo de Margarida que António tanto imaginara. Ele delirava com as contracções que ela fazia com os músculos do ventre, a cada toque da sua língua.

Ele permaneceu assim vários minutos, a sentir aquele ser tão feminino cada vez mais excitado, mais sedento de prazer. Levantou-se e beijou novamente os seios dela, demoradamente... A respiração dela ficou mais rápida...

Margarida empurra-o e deita-se sobre ele... O toque suave dos seus seios, no peito dele, provocaram sensações inimagináveis, de prazer e luxúria...

A boca dela desceu pelo peito, com beijos curtos, e desceu e desceu até colocar na boca o sexo dele, António tanto ansiou por aquele momento….


O calor da sua boca, levou-o a fechar os olhos e deixar o prazer fluir, primeiro suavemente e depois em movimentos mais rápidos...

Quando ela subiu e lhe beijou o peito musculado, ele sussurrou-lhe ao ouvido; - quero-te possuir!

Ela deitou-se e ele num movimento rápido, quase que com medo de perder o instante, colou o seu corpo ao dela. Só a antecipação do momento, deixou-o doido de prazer.

Entrou nela, suavemente, no meio de um beijo molhado.... Iniciou movimentos num vai e vem com a zona da cintura. O quente do interior do corpo dela, deixaram-no quase sem sentidos. As mãos dela nas costas dele, deixavam adivinhar que estava a adorar ser possuída!

Em movimentos cada vez mais rápidos, ambos soltaram gemidos de prazer puro -"Quero ficar eu em cima " diz Margarida! António nem quis acreditar, era das posições que ele mais gostava! E assim foi... Rodaram sobre si mesmos, e passou ela a mover-se sinuosa sobre o seu corpo. Alguns hábeis movimentos da sua cintura, tipo dança do ventre, e encontravam-se prontos para atingir o prazer total...

Mais alguns momentos, acompanhados de gemidos prolongados, e ambos explodem num orgasmo em sincronia.... A sensação foi inexplicável! Todos os sentidos ficaram a saborear aquele momento único... Ela caiu sobre ele e ficaram a descansar um em cima do outro, durante alguns minutos, sem uma palavra. Não era preciso, os seus corpos fundiram-se num só, e ele abraçou-a e sentiu aquilo que sempre desejou, tê-la junto a ele, sua! Então, ela.....sussurrou..ao ouvido dele....assim como que um beijo suave mas com voz profunda e sentida.... “Se soubesse que uma massagem tua era assim, ao tempo que já tinha dito que sim”… amei!

 

Guest: Igara

 

Speed by KI às 00:01
| Speeds
6 comentários:
De KI a 4 de Outubro de 2007 às 17:51
Gostei imenso da tua participação Teresa, o texto é delicioso e os sentidos não ficam indiferentes a tanta ousadia descrita em palavras. Inevitável ainda que repetitivo dizer que está excelente, cada pormenor é cuidado, e sei como é difícil escrever neste estilo sem ultrapassar aquele limite que tudo estraga ( aliás eu acho que é mesmo muito complicado e bloqueio).

Já ouviste hoje o que toca no Trampolim eheheh, sei que tu gostas tb.

Mas o teu texto não é quase perfeito é perfeito.

Beijos :)


De Sonhador de Alpendre a 5 de Outubro de 2007 às 11:18
Bom...! Well...! ... pois... e que tal? Não!

Massagista? Quem, eu? pois...de facto e pensando melhor... É isso!!! Eureka!!!
j
Já sei, quando for grande quer ser massagista....
Não posso? porquê? Ah! Já sou grande.... Pois....

menina do mar, essa fervura sanguinea que lhe corre nas veias, é em circuito fechado na zona criativa do cérebro ou tambném lhe percorre o resto do corpo? é que assim sendo e sendo assim a menina deve passar o tempo todo dentro de uma banheira cheia de gelo...

beijinhos e gostei muito do seu texto

sonhos uffaaa


De tugafixe a 5 de Outubro de 2007 às 15:44
Uff!!! Isto hoje é só sensações fortes!
Confesso que só hoje vi e li o Speed, mas houve dois textos que me deram cá uns calores e umas saudades! O Pedro e Inês e agora este! Está muito bom! Muito bom mesmo!
É daqueles que se nos concentrarmos na leitura, nos imaginamos na pele dos personagens!
Já vi que os posts aqui vão ser nesta linha do amor e da sedução! Ganhaste uma visita! E sem promessas, vou tentar escrever um para postares aqui! Ok?

Beijinhos!


De KI a 5 de Outubro de 2007 às 19:25
Gostaremos muito de te ler 'Giraço' , espero o teu texto :) e ainda bem que gostaste.

Beijijnho.


De tugafixe a 7 de Outubro de 2007 às 14:28
Olá! Tenho o texto pronto! Para onde queres que to mande?
Beijinhos!


De mnike30 a 19 de Outubro de 2007 às 00:13
Ò Mna Teresa,

Esse seu areal descritivo é capaz de afugentar todo o nevoeiro do céu de um sol de Verão... apesar que no Inverno tb não será mau não senhor...
Só hoje li o seu texto na integra e tenho a dizer que gostei imenso do seu sentido descritivo que mistura, no pensamento de quem lê... palavras, actos e omissões...
Gostei!

Um beijinho


Speeds

.Racers

.Speeds

. é!

. Upsss(II)

. (RE)ENCONTRO

. Toque de Midas

. Uma noite. Um olhar.

. Revenge

. SONATA AO LUAR

. Assunto encerrado !

. Tortura

. Sal na boca...

.Slow Motion

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.Long Roads

.Janeiro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.Breaks

 

.Fingers & Fire

 

 

 

… do frio

Frio?

frio tem remédio.....

any idea?

lots

such as....

such as....

pois... não estou a ver....

undressing slowly ...by the fireplace

no lights, only candles

mmmmm

sounds tempting

does it?

mmmmmmm

so far

music?

you're choice....

does it matter ?

it does, if I'm supposed to undress for you

nesse caso.....

a do video .. de hoje

(ando a fugir dessa música há semanas)

mas ok

já começou ?

 

Vai começar agora…

senta, sentas?

assim no braço do sofá....

enquanto chego à lareira

e solto o cabelo, para começar....

e sorrio e fico à espera

a musica é tua,

podes mandar

   mmmmmmmm

 

mandar ou...

levantar ?

 

decide tu....

 

e passo-te os dedos ...

por onde sei inventar.....

e sinto-te a pele ... a querer respirar

e vindo do nada... caminham para o tudo

onde as coisas acabam

onde as coisas começam....

 

onde se abraçam olhares

e se quebram promessas

 

e num frio de repente sinto escorregar

e entram momentos

que não vimos chegar....

e nos dedos perdidos.....

na vontade de voltar

 

dançam corpos em sombras incandescentes

em gestos lentos, em voz de arfar,

em cores esculpidas,

entre mãos perdidas,

em mares de quereres

e vontades contidas

 

e de repente .... tocou o telefone

e saímos a correr!

a casa não era nossa

don't!

e os da agência estavam sempre à espreita

lol

srry

é este meu lado do nonsense

que me assalta sem aviso

onde iamos?

o que estávamos a fazer?

 

 

onde?

queres saber?

íamos onde te puxo devagar

e desço pelo teu peito em beijos de molhar

em dentadas de beber e saborear

em mãos que te enlaçam, lábios que te procuram

e não se deixam provar

mmmmmmmm

em corpos que se encostam,

se procuram e se enroscam,

como gatos a sonhar

em sentir que despertas,

que a roupa te aperta....

que não queres esperar

em afastar-me sorrindo,

mandar-te um beijo e indo

para casa descansar!

 

boa?

...Hummmmmm....
Nova página 1

Humm… Quando de lábios te exploro e te mordo devagar, digo que te adoro, que te quero, que não posso esperar, quando a música nos toma, se faz nossa dona e nos obriga a dançar, quando somos só um, e a terra a girar, quando escrevo o que sinto e te deixas amar...

Nova página 1

 

Quanto me entendo contigo e te sinto como abrigo, e me revejo nos teus beijos e juntos criamos desejos...Quando  dançamos os dois sem amanhã nem depois, encontro-me no teu olhar, sentimos o ritmo que nos faz dançar... Quando as palavras se calam e só os sentidos falam...